HID logo

Many Small Steps to Enhanced Passport Security (pt-br)

O real valor dos componentes de segurança
A toda a hora um elevadíssimo número de pessoas atravessa fronteiras, muitas delas em aviões. Se você consultar os aplicativos de rastreamento de voos, no qual é possível acompanhar cada avião que atualmente está no ar, o tráfego aéreo está por vezes tão intenso que você não consegue nem ver um pedaço do céu entre as rotas de voo. De acordo com a previsão da Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) o número de viajantes dobrará nos próximos vinte anos. O mundo está se tornando menor.

Image removed.

Os passaportes proporcionam a liberdade de viajar nos bons e nos maus momentos.
Um passaporte possibilita que as pessoas cruzem livremente as fronteiras. Todos os viajantes devem apresentar seus passaportes aos agentes de controle da fronteira em algum momento da viagem internacional. Para muitos dentre nós, um passaporte permite viajar o mundo à lazer e vivenciar novas culturas. Para outros, um passaporte possibilita sair oficialmente de seu país de origem em casos de crise e entrar num outro país, com o porte de um documento de identidade reconhecido internacionalmente, para uma circulação em segurança. Isso pode ser fundamental para um futuro estável.

Em busca das origens do passaporte: proporcionando a “passagem segura” graças a uma carta
Apresentar um documento específico para atravessar uma fronteira legalmente não é novidade. A primeira referência a esse tipo de documento apareceu no Antigo Testamento, que menciona uma carta emitida a viajantes para garantir a "passagem segura". Dois séculos mais tarde, a palavra "passaporte" viria à tona. Os documentos eram emitidos para viajantes por autoridades locais para deixá-los "passar pelo portão" (em francês pass-porte). Mais tarde, o passaporte se tornou um pedaço de papel com uma foto do titular anexada a ele, junto com outros dados pessoais. Atualmente, ele evoluiu para a caderneta bem conhecida que levamos conosco nas viagens.

Com a necessidade cada vez maior de ter segurança e a tendência geral da digitalização, o passaporte ficou mais sofisticado. Recursos de segurança complexos, frequentemente microchips, contêm e protegem dados pessoais do titular do passaporte. Novas técnicas de impressão substituem os dados escritos à mão ou à máquina de escrever, e protegem os dados por meio da tecnologia. No entanto, há mais algumas etapas a serem adotadas se o governo quiser realmente garantir a segurança de um passaporte.

Mais de 40 componentes de segurança em um passaporte padrão
Os componentes de segurança estão distribuídos por todo o documento de identidade. Quanto mais componentes forem adicionados, mais difícil será detectar e falsificá-los, o que contribui imensamente para a segurança do documento de identificação. A maioria dos componentes de segurança também serve como elementos de design personalizável, possibilitando que um governo configure seu passaporte com seu próprio visual reconhecível.

O número real de componentes e recursos de segurança que um passaporte contém é surpreendente para muitos de nós. Há mais de 40 componentes em um passaporte e cada página contém mais de 10 recursos de segurança.

A capa do passaporte: a primeira etapa no design e na segurança
Se, à primeira vista, todos os passaportes parecem atender aos mesmos critérios, dê uma olhada a sua volta durante sua próxima visita ao aeroporto e você verá que há uma ampla variedade de cores de passaportes. Você encontrará facilmente cores como vermelho, verde, azul claro, azul escuro, marrom, dentre muitas outras. A variedade é imensa, mas a combinação de qualquer uma dessas cores com o nome de um país e um emblema estampado, na cor prateada ou dourada, é sempre marcante.

Os significados ocultos por trás das cores dos passaportes
Embora os governos tenham a liberdade de escolher a cor que preferirem para a capa, em alguns casos podemos determinar uma lógica oculta por trás das cores.

  • Azul:a cor azul é usada para muitos países da América Latina, como Argentina, Uruguai, Brasil e Venezuela, além das ilhas do Caribe, EUA e seus territórios.
  • Verde: a capa verde é frequentemente associada a países muçulmanos. Acredita-se que o verde seja a cor preferida do Profeta, além de representar a natureza. Os passaportes do Reino do Marrocos, do Reino da Arábia Saudita e da República Islâmica do Irã, têm uma capa verde.
  • Vinho: a cor vermelho escuro é frequentemente usada por países europeus. O motivo dessa escolha não é claro. Talvez seja coincidência ou talvez seja um segredo muito bem guardado.

Além de proporcionar um visual único, a capa não é apenas um elemento de design. É um componente de segurança que protege a brochura. Os governos podem selecionar dentre diferentes opções, tais como têxtil ou papel, que são feitas com vários materiais, como verniz ou celulose. O material da capa deve ser robusto e durável, pois o ciclo de vida de um passaporte é de 10 anos, de acordo com os padrões da Organização Internacional da Aviação Civil (ICAO). A capa feita de um material flexível facilita o processo de fabricação da brochura e é comprovadamente mais resistente a desgaste e rasgos. Para aqueles que realmente querem garantir a segurança, é possível adicionar elementos UV ou um desenho em relevo, que fornecerão maior proteção.

Além da capa, há outros três componentes de segurança a serem considerados.

A linha de costura
A costura fica localizada no meio do passaporte e tem três funções principais:

  • Ela une a página do visto e a página final, com uma costura muito resistente.
  • Ela adiciona uma camada extra de segurança, já que ela está disponível com elementos fluorescentes que podem ser detectados sob UV ou reagente sob luz infravermelha.
  • Ela proporciona um design único ao passaporte, pois as cores escolhidas frequentemente correspondem às cores da bandeira de um país.

O laminado
Quando um país não tiver adotado uma página de dados de policarbonato, ele usará o laminado para proteger os dados da página de dados. A fina espessura do laminado torna sua remoção muito difícil. Isso evidencia com facilidade as tentativas de adulteração. Agregar holografia ao laminado aumenta a segurança da página de dados. A personalização permite a integração de símbolos ou imagens nacionais.

O papel
Muitos agentes de controle de fronteiras confirmaram que as marcas d'água no papel do passaporte são o recurso de segurança mais eficiente, já que elas são especialmente difíceis de simular. O papel é processado com produtos químicos especiais que detectam imediatamente tentativas de adulteração. Como o papel é feito de choupo-do-canadá (cottonwood), ele permite impressões especiais que o papel convencional não permite.

Em resumo, ao considerar a segurança do passaporte de um país, tenha cuidado para não negligenciar componentes fundamentais, como o design e a cor da capa, a linha de costura, o laminado e o papel. Esses são os recursos que o ajudarão a criar um símbolo nacional verdadeiramente único e a adicionar a camada de segurança mais importante. Para saber como documentos de identificação seguros fornecem a base de uma cidadania mais segura, acesse hidglobal.com/citizen-identification.

Como especialista da HID em componentes de segurança, Anne-Laure Letan conhece o mercado de componentes de segurança como a palma da mão. Sua experiência anterior no gerenciamento de projetos complexos de identidade a permitiu aconselhar governos sobre os melhores métodos para proteger os dados pessoais de cidadãos e, ao mesmo tempo, criar documentos de identidade atraentes e exclusivos.

RECENT POSTS